segunda-feira, 4 de junho de 2012

4- DESAPEGUE-SE. Deixe o passado para trás.

Tudo deu certo, você acordou amando mais você, definiu como é o parceiro que você deseja, arriscou-se e permitiu-se fazer diferente.
Agora é hora de desapegar e abrir espaço para as mudanças necessárias acontecerem para assim iniciar um relacionamento ou recomeçá-lo. Afinal, mesmo num casamento de anos estamos sempre recomeçando.

Desapegar-se e recomeçar é jogar fora as mágoas e ressentimentos acumulados das histórias passadas, é entende que todas as experiências valem como aprendizados e crescimento E NADA MAIS, não devemos passar o resto da vida justificando nossas escolhas e decisões do presente com as situações do passado. Precisamos nos desapegar ao máximo possível do passado para abrir espaço para um novo relacionamento, seja com o mesmo ou com um novo parceiro.
Gosto muito deste conto: Em lugar muiiiitttoo distante daqui, num tempo qualquer havia um jovem senhor sábio de vestimenta amarela, um homem que aprendeu muito com seus erros e acertos da vida. Ele era admirado e cheio de conhecimentos e devido a sua posição, sua sabedoria, o sábio não podia ser tocado por ninguém.
Num dia quente e ensolarado, com poucas nuvens no céu azul e pássaros a cantar; o sábio caminhava com seu aprendiz e transmitia seus conhecimentos, andavam lentamente até chegarem à beira de um rio. O rio era limpo e sereno. Quando o mestre e seu aprendiz se preparavam para começar a atravessar o rio e apareceu uma velha senhora apoiada em um pedaço de galho, andar lento e rosto preocupado.
A velha pediu ao mestre que ele a coloca-se nas suas costas para travessar o rio. Ela explicou que seu filho estava do outro lado e que não tinha forças para atravessar sozinha e pediu com a voz intensa e forte que o sábio a carrega-se. O aprendiz logo foi dizendo até, um pouco ríspido, que ninguém podia tocar o sábio e que ela desse um jeito de atravessar, a velha olhou o sábio nos olhos, bem fundo e abaixou a cabeça enquanto o aprendiz ainda dizia o porque seu mestre não podia carregá-la.

O mestre calmamente aproximou-se colocou a velha de vestido vermelho nas costas e com passos firmes atravessou o rio. O aprendiz o seguiu em silencio. Ao terminar a travessia o sábio delicadamente deixou a velha de vestido vermelho e xale laranja do outro lado do rio e seguiu seu caminho em silencio. O aprendiz o seguia inquieto e incomodado. Num momento qualquer, depois de algum tempo o aprendiz parou e disse ao sábio:
Senhor não posso mais segui-lo. Meu mestre foi tocado pela velha senhora, você carregou aquela velha de vestido vermelho sobre o rio sereno. Você não podia quebrar a tradição e por isso eu não vou mais segui-lo. O sábio calmamente olha nos olhos do aprendiz e fala: É verdade, eu carreguei aquela senhora velha de vestido vermelho e xale laranja nas minhas costas para atravessar o rio, só que AO FINAL eu a deixei lá na outra margem do rio, você que nem tocou nela continua a carregá-la até agora. Irá me deixar aqui e ainda levará a velha senhora com você.

Seja sábio você,  e no seu tempo, agora ou daqui a pouco, deixe a margem do rio suas velhas senhoras encontrem dentro da sua mente as velhas lembranças e pessoas que ainda carrega em suas costas, e delicadamente abaixe-se e coloque-as na margem do rio. Suavemente deixe a beira do rio velhos sentimentos e velhas emoções, abaixe-se e já tirando dos seus ombros sua velha... sua velha vida, sua velha forma de ver o mundo, velhas decisões, ações e pensamentos e vai colocando uma a uma delicadamente a beira do rio. Desapegue-se.

Um comentário: